Frevo, a dança do carnaval de Pernambuco

Autor:

11 fev , 2015  

Foto: Wikipedia

Foto: Wikipedia

As danças brasileiras são marcadas pela alegria e é na época do carnaval que muitos passos novos e dancinhas aparecem ou até mesmo estilos musicais são remodelados. Esse tipo de criatividade faz do Brasil um país com muita diversidade cultural que o torna cada vez mais interessante.

São muitos os estilos musicais brasileiros: dança folclórica, samba, maracatu, fandango, frevo, entre outras e seus derivados que a cada ano o povo brasileiro adapta, muda e faz com que sua dança tenha personalidade em qualquer parte do mundo.

Viajar para o nordeste do Brasil, exatamente Pernambuco e não escutar ou não tentar dançar o Frevo não é uma viagem completa. Esta típica dança das ruas de Recife e Olinda contagiam qualquer turista que vai se embalar ao som dessa música tão brasileira. Ainda dá tempo de tentar no carnaval 2015.

Efervescência e confusão

Com mais de 100 anos de existência o Frevo surgiu no final do século XIX em Pernambuco, com a fusão de vários ritmos musicais, como o dobrado, maxixe, marchinhas de carnaval, entre outros ritmos e era considerado apenas mais um ritmo carnavalesco, mas ao passar dos anos foi ganhando autonomia.

Porque “Frevo”? Frevo lembra a palavra em inglês “Ferver” e se traduz como a efervescência, rebuliço e agitação dos foliões que se movem ao escutar as primeiras notas de frevo não só no carnaval, mas em qualquer época do ano.

Foto: Wikipedia

Foto: Wikipedia

Originalmente, o frevo não tem letra porque é só tocado por uma banda. É uma dança muito rápida, com passos complexos, com malabarismo, muita ginga e rodopios, mas que tem o jeitinho brasileiro, ou seja, muita improvisação também. O Frevo embala três estilos diferentes:

Frevo de rua: A forma mais tradicional da dança. Música sem letra apenas destinada para dança.

Frevo canção: Com o mesmo ritmo característico se embala com letras cantadas. Também é conhecido como “marcha canção” porque se parece muito com as marchinhas cariocas.

Frevo de bloco: É acompanhado por uma orquestra composta com instrumentos, tais como, violão, cavaquinho, banjos, clarinete e também um coral de mulheres. Em Recife há o conhecidíssimo “Frevioca, onde um carro aberto percorre as ruas da cidade com todos os músicos e bailarinos sendo seguido pelos foliões”.

O famoso bloco carnavalesco de Olinda, o Galo da Madrugada preserva as tradições locais e é onde o folião pode escutar e dançar o tradicional frevo Pernambucano.

Reconhecimento

O primeiro reconhecimento deste estilo musical só aconteceu em 2007, quando o IPHAN o registrou em seu livro de Registro das Formas de Expressão como Patrimônio Cultural Brasileiro e no final de 2012 ganhou o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

O Frevo tem vários dias destinados em comemoração a ele, são eles: 14 de setembro (Dia nacional do Frevo), 9 de fevereiro (Dia do Frevo), 6 de setembro (dia do Frevo de bloco de Olinda).

Últimas Posts

The following two tabs change content below.
Brasileira de São Paulo, professora de português em Buenos Aires e jornalista. Amo viajar, conhecer lugares e suas culturas. "Para viajar basta existir." - Fernando Pessoa

Últimas Posts Flávia Lanzoni (Ver todos)

Brasil, Recife